ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Subir à tona

Apanhei uma gripe tão forte que só agora começo a subir à tona... ainda não totalmente recuperada... a tentar manter-me à superfície.
Não me lembro de uma igual!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

As últimas férias do ano




Rever os momentos em que os ditos ténis estavam calçados e pensar: "Mas porque raio não lhe calçava os outros?"








O meu amor mais "pequeno"

Meu amor,
perdoa as minhas falhas, as vezes que te ouço mas não te "ouço", as vezes que estou cansada e enervada demais para me lembrar que és pequenino por tão pouco tempo e serás adulto por muito, muito tempo...


terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A festa dos 6 anos

Pela primeira vez foi no próprio dia do aniversário (segunda-feira), sem família (avós, tios e primos mais velhos), apenas com os amigos mais próximos (filhos de amigos nossos). Foi uma decisão de antevéspera, uma festa preparada no mesmo dia (turno da manhã o pai, turno da tarde e da festa a mãe). Depois ficaram algumas mães (amigas de coração) para ajudarem no policiamento.
Correu muito bem e será um modelo a repetir. Festa no dia e com os seus amigos mais próximos.
O tema era a lady bug mas sem o merchandising. Umas figuras imprimidas para enfeitar, balões vermelhos e pretos, pratos vermelhos e talheres pretos.
Festa caseira mas recheada de muito amor. No final da festa, como já passava das 20h, uma sopa para cada um dos meninos.




Mais uma vez sem fotos de conjunto.
Na verdade, não fosse duas amigas não tinha uma única foto.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Que tipo de mãe és?

Primeiro dia de férias, andas por Lisboa e o teu filho mais novo queixa-se dos pés e pede colo. Achas que conheces tão bem as manhas dele e que apenas quer boleia ao colo.
Desconversas, chamas a atenção para o carro que passa, uma casa diferente ou outra coisa qualquer. Pensas que com miúdos não há férias de descanso e que eles estão sempre a queixarem-se de tudo.
Continuam a andar. Dói, dói, o pé, o pé. Sentas-te, pegas nos ténis, tiras e pões. Confirmas pedras, desapertas um pouco. Mas que raio tem os ténis?! Comprados há 2 semanas, usados muitas vezes sem qualquer queixa e muda-se de cidade e vem as dores?! As crianças, sempre as crianças e as suas queixas pensas tu numa cegueira de quem é mãe que conhece os seus filhos como ninguém.
Voltam a andar. As mesmas queixas. O pedido de colo constante. Seu manhoso! Estás preguiçoso, dizes tu! Vá, anda!
Andamos nisto, com intervalos em que o pai o leva ao colo e tu a pensares no raio das adidas tão novas e confortáveis com tanta queixa. É mesmo manhoso, esse filho.
As férias foram passando e o outro par de ténis que levaste foi usado mais vezes mas usando-se também as ditas da queixa que são tão novas, giras e confortáveis não fosse a manha do teu filho preguiçoso.
As férias terminaram e no primeiro dia de volta ao colégio já com ele lavado em lágrimas por não querer o fim das férias chega a educadora para nos receber com uns ténis iguais ao do teu filho preguiçoso.
"Mãe (sinto sempre que sou mãe de quem me chama mãe mesmo que tenha a mesma ou mais idade do que eu), estes são os ténis do António. Não reparou que ele não levou os seus?"
Ficas muda mas logo dizes:"Naoooo..."
"Pois, estes são os dele. A outra mãe devolveu logo para não estragar."
"Pois, os outros foram de férias!" e faz-se luz em todas as queixas do teu filho.
Quando chegas a casa e vês que ele usou uns ténis 3 números abaixo do seu... tentas perceber que tipo de mãe és?

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Um passeio só comigo

Para este passeio tive que acordar às 5 horas da manhã. Valeu a pena. Adoro passeios em família mas adoro igualmente andar sozinha e demorar o tempo que desejar em cada esquina, montra ou porta de igreja.







2018

Ponderar sobre o que fazer com este espaço que já me disse tanto e que, de algum tempo para cá parece em estado de coma.
Talvez a minha vida se tenha tornado menos interessante e eu tenha ficado também eu menos interessante no meu discurso ou então ficou de tal maneira interessante e preenchida que perdeu-se o tempo que tinha para cá vir todos os dias.
Se calhar é uma fase passageira... reconheço a coragem daqueles que ainda permanecem talvez na esperança que o coma termine. ;)
A todos vocês um ano de 2018 como sonham ou bem lá perto.